Se seu gato passa o dia todo dentro de casa, saiba que pesquisas revelam que o hábito de levá-lo para passear pode devolver a ele alguns instintos primitivos que ele não usa na vida dentro de casa, como caçar e se aventurar em lugares desconhecidos. Passear é um item importante entre as dicas para cuidar de seu gato, pois pode devolver a ele a liberdade, sem que haja riscos de ser atacado por outro animal, envenenado ou atropelado na rua.

Passeios estimulam o bem-estar de qualquer animal, no entanto, quando nos referimos aos gatos, o assunto é mais complicado. Mesmo sendo exploradores por instinto, nem todos eles aceitam o uso de coleiras. Porém, se desde novinhos forem “incentivados” a usá-las, irão aprender a passear normalmente. Mas se seu gato já é adulto, e você resolveu aderir aos passeios agora, alguns cuidados devem ser tomados para que isso não se torne um problema.

 

Cuidados

Antes de qualquer passeio, é imprescindível que o gato esteja vacinado, vermifugado e com o antipulgas e carrapatos em dia.

 

Sem estresse ou temor

Muitos gatos se arrepiam e morrem de medo de sair de casa. Se nas tentativas ele não se incomodar, nem demonstrar medo, provavelmente ele vai adorar o passeio. Mas se ele manifestar receio e se mostrar arredio, não o force a sair. O estresse causado pela situação pode fazer muito mal. Talvez ele se sinta à vontade em ir somente a alguns metros de onde ele esteja. O mais importante é respeitar o animal e o seu tempo.

 

Talvez acostumar-se com a coleira

Como os gatos são animais que não aceitam nada que os “aperte” ou incomode, o segredo é iniciar o uso de coleira desde filhotes.

Antes de começar a levar um gato para passear, é preciso que ele se acostume ao uso da coleira e da guia dentro de casa, e ficar atento se ele está se adaptando bem. As tentativas dos próximos passos devem ser feitas com intervalos de, pelo menos, dois dias.

Para colocá-la, primeiro deixe que ele cheire, brinque e vá se acostumando a ela. Se o animal aceitá-la sem problemas, coloque a guia e permita que ele se mova livremente. Depois pegue a guia e caminhe junto a ele, sem forçá-lo.

coleira - É possível passear com gatos?

O segredo é iniciar o uso de coleira com o gato ainda filhote.

 

Passeios breves

Partindo do pressuposto de que o gato se acostumou com o uso da coleira e da guia, é hora de tentar o próximo passo. Os passeios devem ser breves e em lugares tranquilos para que o gato não se assuste. A dica é dar preferência a algum jardim ou parque privado.

Como gatos gostam de ter sempre um “’esconderijo”, um lugarzinho onde se sintam seguros e protegidos, também leve sempre junto a caixinha de transporte dele e deixe-a por perto, aberta. Assim, caso ele sinta necessidade, pode se esconder a hora que quiser.

 

Encontro com outro animal

Se, durante o passeio, vocês encontrarem com outros gatos ou cães, ele pode se assustar e sair machucado. Existem cachorros que não se importam com a presença de gatos, no entanto, outros, ainda que por instinto, procuram briga. Quando isso acontecer, o ideal a ser feito é pegá-lo no colo e tentar sair de perto do outro animal o mais rápido possível.

gato no colo - É possível passear com gatos?

Ao encontrar com outros animais durante o passeio, o ideal é pegar o gato no colo e tentar sair de perto.

 

Fêmea no cio

Se seu animal for fêmea, quando estiver no cio evite os passeios. Caso a saída seja de extrema necessidade, a dica é levar a gata dentro de uma caixa de transporte molhada. Desta forma, ela passará seu tempo entretida, se lambendo, e não miará.

 

Dica importante

É preciso atenção na hora de escolher o acessório. O mais adequado para o passeio é utilizar conjuntos peitorais, coleiras próprias para gatos. Para optar pelo melhor modelo, consulte um veterinário.

 

Ficou com alguma dúvida? Compartilhe conosco nos comentários e nós responderemos para você!