É comum em diversos aquários encontrar peixes estressados e, na maioria das vezes por consequência da falta de conhecimento do aquariofilista.

 

É considerado estresse qualquer condição em que o peixe torna-se incapaz de manter um estado fisiológico normal, além de apresentar comportamento estranho.

 

O estresse em peixes de aquário é um fator indireto, porém fatal, por isso é preciso estar atento para evitá-lo. No entanto, para isso, é necessário saber quais situações podem ser fontes de estresse.

 

Qualidade da água

A qualidade da água é um fator importantíssimo e pode, sim, desencadear estresse em peixes, caso esteja fora dos parâmetros essenciais de pH e temperatura, ou esteja com substâncias tóxicas, como amônia nitrito e nitrato.

 

Manejo dos peixes

O manejo deve ser o mais cuidadoso possível. A forma como se transporta o animal da loja para casa, quando é necessário fazer mudanças no aquário ou até mesmo uma simples manutenção em que seja preciso retirar algum peixe do aquário, são ações que devem ser feitas com muita cautela, calma e tranquilidade, pois a movimentação em excesso certamente desencadeará estresse no animal.

 

Ameaça ou atenção

A sensação de ameaça ou o estado de atenção constante são fontes geradoras de estresse em peixes. Devido à incompatibilidade entre as espécies, o peixe pode sentir-se ameaçado por outro peixe, seja por um novo habitante ou por um já existente no aquário. Essa sensação de ameaça também pode vir das pessoas, pois é muito comum o animal se assustar com a movimentação dos seres humanos em frente ao aquário, mas com o tempo, ele tende a se acostumar.

 

Barulho

Ambientes muito barulhentos também podem desencadear estresse em peixes, por isso é essencial que o aquário não fique posicionado muito próximo de televisão ou aparelho de som. E não se deve nunca bater no vidro, pois essa é uma ação extremamente estressante para os peixes.

 

Irradiação

Uma situação muito comum de se acontecer, principalmente com os bettas,e que deve ser evitada, é colocar seu aquário sobre o micro-ondas. Além de o barulho e vibração do eletrodoméstico estressarem o animal, a irradiação liberada quando está em funcionamento pode prejudicar os órgãos internos do peixe e levá-lo a óbito.

 

Superlotação

Um aquário superlotado é extremamente  estressante para seus habitantes e faz com que os peixes entrem num estado de competição por comida, território, acasalamento e outras coisas, mesmo que não haja motivo real para isso.

 

Alimentação

Uma alimentação que não seja variada, que não forneça os nutrientes necessários e de forma adequada, ou até mesmo em excesso, desencadeia uma enorme quantidade de reações que também gera estresse em peixes. Por isso é importante que os alimentos sejam adequados à espécie, variados e da melhor qualidade.

 

Como identificar o estresse

Quando os peixes estão estressados, é possível notar mudanças em sua coloração original: um peixe vermelho pode ficar branco,  e um azul pode ficar preto, por exemplo.

Outra característica relevante é a mudança no comportamento: quando o peixe não é de se esconder e passa a se entocar, ou quando é muito tranquilo e torna-se agitado. Há também aqueles que passam a se bater e tentam pular para fora do aquário. Esse é um sinal de que ele não quer mais viver naquele ambiente, quer sair e mudar de lugar.

 

Sem distinção

Todos os peixes estão sujeitos ao estresse, tanto os recém-adquiridos, como os que já habitam o aquário. Os recém-adquiridos, por estarem passando por mudanças de habitat, parâmetro de água e também devido ao transporte, ficam mais vulneráveis e por isso podem se estressar com mais facilidade. No entanto, os que já habitam o aquário podem entrar em colapso quando um peixe novo é introduzido, por sentirem seu habitat ameaçado por um novo habitante.

 

O estresse mata?

Sim, o estresse pode matar. Pois ao se estressar, o peixe tem uma queda de imunidade e quando isso acontece, ele perde sua mucosa protetora (por isso a troca de cor) e fica vulnerável a bactérias, parasitas, fungos, entre outros. E essas doenças podem levar à morte.

 

Como eliminar o mal

Para tentar diminuir ou eliminar o estresse, a primeira ação é identificar a causa, o que está provocando o mal e introduzir medicamentos que possuam aloe vera em sua composição, para ajudar a acalmar. Também é essencial administrar produtos que ajudem a regenerar sua mucosa protetora, pois após o estresse, é muito mais importante que o animal recupere a mucosa do que ele propriamente se desestressar, para que doenças futuras sejam evitadas.

 

Resultados

O tempo para se notar uma melhora varia de espécie para espécie. Algumas delas respondem muito rápido ao tratamento, como os peixes molly (molinésia), espada, kyngyio e por consequência se recuperam rapidamente. Por outro lado, uma boa parte de peixes de água salgada, assim como os acarás-disco, são peixes mais sensíveis e demoram muito mais para se recuperar de um estresse. Então, dependerá muito da fauna existente no aquário.

 

Você já identificou algum indício de estresse em seus peixes? Compartilhe conosco sua experiência!