Muitos admiradores de aves têm a curiosidade de saber o que as calopsitas comem. Para responder uma dúvida como essa, é preciso levar em consideração alguns aspectos.

 

Na natureza

As calopsitas são aves australianas e, na natureza buscam por sementes, frutos e até mesmo alguns insetos – este último, não tão comumente. Por serem aves que migram conforme as estações do ano ou pela escassez de alimentos, as calopsitas acabam encontrando no caminho algumas lavouras, como as de sorgo, milho, girassol, entre outras, e quando isso acontece, acabam se alimentando também, buscando sempre por sementes menores, já que têm o bico potente e a mandíbula resistente.

Já as frutas, são as regionais, endêmicas da Austrália, além de, às vezes, se alimentarem também de algumas flores.

 

Criadas em cativeiro

Mas em cativeiro, o que as calopsitas comem? Bem, as criadas em cativeiro devem consumir cinco componentes que são de suma importância:

1- Mix de sementes com grãos variados

2- Frutas e vegetais

3- Ração extrusada

4- Farinhada

5- Cálcio

 

Mix de sementes com grãos variados

Quanto maior a variedade de sementes agregadas ao mix de sementes, melhor. Pois isso possibilita a ingestão de diferentes fibras, vitaminas e minerais. O ideal é dar preferência aos grãos integrais e que o mix tenha, no mínimo, 10 tipos de grãos.

Deve-se evitar oferecer sempre o mesmo grão porque, além de causar uma certa deficiência nutricional na ave, é possível que haja excesso de um mesmo nutriente, o que acarreta em problemas à saúde. Uma dica interessante é comprar diferentes grãos à parte e acrescentá-los ao mix de sementes.

Dentre os grãos que podem ser oferecidos à calopsita estão os diversos tipos de painço, alpiste canadense, aveia com ou sem casca, cártamo, diferentes tipos de arroz, niger, senha francesa, perilla, sorgo vermelho, trigo mourisco, linhaça, chia, grão-de-bico, lentilha, ervilha, canjica, gergelim branco e preto e até mesmo girassol.

Os grãos como arroz, canjica, grão-de-bico, lentilha e ervilha, devem ser cozidos antes de serem oferecidos, e preparados somente em água, sem sal ou qualquer outro tempero, nem óleo. 

 

Frutas e Vegetais

Legumes

É vasta a lista desses itens que são permitidos para as calopsitas. No entanto, ao saber o que as calopsitas comem, é preciso estar atento a alguns legumes, como a batata doce e abóbora cabotiá, que precisam ser muito bem cozidas para serem servidas, já que a ave não consegue digerir uma enzima contida nelas, quando estão cruas. Os demais como a abobrinha paulista, berinjela, chuchu, cenoura, pepino, jiló, quiabo, vagem, beterraba, brócolis, couve-flor podem ser oferecidos crus, normalmente. Sempre lembrando que a calopsita tem paladar e também se interessa pelo visual do alimento, por isso é importante variar a forma de se oferecer o alimento.

 

Folhas

Calopsitas adoram folhas, em especial a couve, folhas da cenoura, da beterraba, da mostarda, entre outras. Aqui podemos citar também ervas desidratadas como camomila,  erva-doce, alecrim, orégano, além de manjericão e hortelã. Todas elas também podem ser oferecidas de forma fresca se forem plantadas organicamente.

 

Frutas

As frutas mais apreciadas pelas calopsitas são maçã, pera e uva, mas estas devem ser servidas sem sementes, já que contêm cianeto – ainda que em pequena quantidade – toxina que a ave não elimina e pode fazer mal a longo prazo, devido ao seu efeito acumulativo.

A banana pode ser oferecida com casca;  mamão, melão e melancia, com sementes. Inclusive as sementes do mamão são um vermífugo natural. Já os morangos, somente se forem orgânicos ou plantados em casa, pois os comprados em supermercados e feiras têm uma alta concentração de pesticida.

Além dessas frutas já citadas, é possível oferecer também pêssego, goiaba, manga, kiwi, cereja (sem semente) e polpa de coco fresco (com moderação).

 

Artigos Relacionados

 

Rações extrusadas

 As rações extrusadas suprem, de certa forma, as necessidades da ave que não consome frutas e vegetais, por isso,  ao ser alimentada com a ração e as sementes, ela está mais equilibrada nutricionalmente. Desta forma, este é um item muito importante e que deve ser servido diariamente.

O ideal é dar preferência às rações extrusadas naturais, ou seja, quanto menos corante, melhor.

 

Farinhada

Atualmente o mercado conta com diversos tipos de farinhada, com várias texturas e até com sementes, frutas e ovos agregados, com versões especialmente criadas para o bom desenvolvimento de filhotes, para a fase de reprodução, para o fortalecimento das penas, entre outros.

 

O que as calopsitas comem - Diferentes formas de oferecer o alimento

A calopsita tem paladar e também se interessa pelo visual do alimento, por isso é importante variar a forma de se oferecer o alimento

 

Cálcio

O cálcio para aves pode ser encontrado industrializado, em pó ou em forma líquida. Entretanto alguns tutores optam por prepará-lo a partir da casca do ovo, que é higienizada, assada, triturada e coada até se transformar num fino farelo.

 

Alimentos proibidos

Existe uma série de alimentos que não devem ser oferecidos a uma calopsita. Além de condimentos como sal, açúcar e óleo, estão os derivados de cafeína, chocolate, derivados de farinha (seja ela branca ou integral), leite e derivados, feijão cru, mel, cogumelo, refrigerante e bebida alcoólica.

Dentre as frutas e vegetais, fazem parte da lista abacate, tomate e cebola, além das sementes de maçã, pera, uva e damasco.

Esses alimentos podem ocasionar a falência de algum órgão e levar a ave a óbito.

 

Alimentos controversos

Muitos tutores têm o alface como alimento proibido porque causa diarreia, entretanto como é uma folha com alta concentração de água, torna a excreta mais aquosa, mas não é um alimento que faz mal à ave.

Alguns tutores evitam a semente de girassol por acreditarem que esta seja prejudicial. No entanto, ela só fará mal, de fato, se for a única fonte de alimentação da ave. E o mesmo vale para qualquer outra semente. Na verdade, ela é uma ótima opção de petisco, principalmente quando integra o mix de sementes.

Já o pão, oferecido por tantos tutores, não possui as vitaminas e minerais necessários para a ave, apenas faz com que ela engorde. Portanto, já que existem tantas outras alternativas saudáveis disponíveis, a dica é optar por alimentos que só trarão benefícios.

 

Quantidade ideal de alimento

Não existe uma quantidade ideal de alimento. Tudo depende da quantidade de aves que o tutor possui e da observação que ele faz com cada uma delas, já que algumas podem comer pouco e outras, mais.

Se o tutor tem uma única calopsita, deve colocar, por exemplo, cerca de duas colheres de mix de sementes por dia e observar qual a quantidade diária consumida. Fazendo isso por pelo menos uma semana, já será possível ter uma noção do quanto ela come diariamente.

Também é importante levar em consideração que algumas aves preferem, por exemplo, mais ração do que sementes, ou até mesmo, frutas e legumes. Por isso a observação é imprescindível.

 

Alimentação reforçada

A alimentação de uma calopsita deve ser balanceada nutricionalmente independentemente da fase em que ela se encontra, entretanto, quando a fêmea entra em postura, o ideal é disponibilizar mais alimento ao casal, pois há um gasto de energia muito grande com a choca dos ovos e na incubação. O mesmo acontece quando os filhotes começam a nascer. Por isso a dica é reforçar com frutas, verduras e legumes mais vezes ao dia.

Se o hábito é servir esses alimentos uma vez ao dia, nesta fase, dependendo da quantidade de filhotes em ninho, deve-se oferecer, no mínimo duas ou três vezes ao dia, pois além de se alimentarem, os pais também buscam pelo alimento para poder regurgitá-lo para os filhotes. E quanto mais eles crescem mais vão comer. Esse cuidado fará com que eles se tornem sadios, bonitos, com boa plumagem e dificilmente adoeçam.

O que as calopsitas comem - em fase de reprodução

Quando a fêmea entra em postura, o ideal é disponibilizar mais alimento ao casal, pois há um gasto de energia muito grande com a choca dos ovos e na incubação.

 

Água à vontade

A água, para as calopsitas, deve estar sempre fresca e, de preferência, em potes abertos como os comedouros, para que seja mais fácil a ingestão. Não existe uma quantidade exata. Se o viveiro tem apenas uma ave, um bebedouro é suficiente. Se houver mais do que duas, é preciso, pelo menos, dois bebedouros cheios, com água limpa, fresca e de preferência, filtrada, para que não seja veículo de algum parasita.

É imprescindível que essa água seja trocada, de duas a três vezes ao dia, principalmente em regiões mais quentes ou em época de estiagem. A dica é colocar o bebedouro em um local onde a ave suje a água o menos possível.

 

Detalhes importantes

Depois de citado tudo o que as calopsitas comem, existem alguns detalhes que são de suma importância para a saúde dessas aves, por isso não devem ser ignorados:

1. Insistir nas opções naturais

Caso a calopsita rejeite algum alimento, é importante tentar oferecê-lo em outras versões. Se ela não come a cenoura picadinha, experimente servi-la ralada ou misturada com algum outro alimento, como um ovo cozido, por exemplo. Uma dica que costuma dar certo é oferecer saladinhas, com quatro ou cinco tipos diferentes de vegetais, procurando diversificá-los diariamente.

Saladinha - O que as calopsitas comem

Oferecer saladinhas, com quatro ou cinco tipos diferentes de vegetais, procurando diversificá-los diariamente, costuma dar certo para as calopsitas.

 

2. Alimentos muito bem higienizados

Todas as frutas, verduras e legumes oferecidas às aves devem ser muito bem higienizadas, como se fossem para o consumo humano. E elas sempre devem ser servidas em temperatura ambiente. A dica é tirá-las da geladeira alguns minutos antes de oferecê-las. Já as sementes devem ser visualmente de boa qualidade e estar limpas.

 

3. Cuidado com a fermentação

 Também é essencial que, quando servidas, elas não fiquem por horas expostas no viveiro, pois estão sujeitas à fermentação, já que são alimentos naturais. Escolha o horário mais fresco do dia para oferecer alimentos naturais e dê o prazo de cerca de uma hora para as aves consumirem, caso haja sobras após esse tempo, retire do viveiro. Tomando essa precaução, além da fermentação, também é possível evitar contaminação por moscas, o que é extremamente perigoso.

 

4. Não colocar alimento no piso da gaiola

Nunca deve-se colocar os alimentos no fundo da gaiola, pois estes serão contaminados de imediato. Eles devem ser pendurados ou servidos em potinhos. Dê preferência aos recipientes de porcelana, que têm maior durabilidade e são de fácil higienização. Comedouros e bebedouros devem estar sempre limpos, lavados diariamente com água bucha e detergente.

 

5. Flores e germinados

As calopsitas comem flores e germinados, no entanto, é preciso muito cuidado para oferecer essas opções, pois são flores específicas e devem ser orgânicas. Em hipótese alguma pode-se servir flores de floricultura, pois estas recebem produtos químicos que podem ser letais para a ave.

Já os germinados devem ser preparados por quem saiba fazê-los. Uma germinação mal feita pode intoxicar a calopsita.

Quer saber mais sobre o que as calopsitas comem ou ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário. Será um prazer ajudar!

 

Colaboração: Sandra Tiemi Yabuuti

Sandra é de Palmas (TO), atualmente é tutora de 36 aves (14 calopsitas e 22 periquitos australianos) e gerencia no Instagram o perfil Kiko e Aurora e turminha e no Facebook a fanpage Periquito Australiano.

As imagens do artigo fazem parte de seu acervo pessoal.

 

Cadastre-se em nossa Newsletter