Pensa em ter um pet? Saiba como tratar de uma calopsita.

A calopsita é uma ave da família dos psitacídeos, que encanta por sua graça e inteligência. E por ter tanta esperteza e beleza, tornou-se uma das espécies mais procuradas. Mas você sabe como tratar de uma calopsita? Continue lendo este artigo e tire suas dúvidas!

 

Gaiola ou viveiro?

As calopsitas podem ser criadas tanto em gaiolas como em viveiros, no entanto é imprescindível que o recinto tenha um tamanho adequado para ave ou para quantidade de aves que nele habitam. Deve estar em bom estado de conservação, sem ferrugem e sem descascar. Sua malha também tem de ser compatível com o tamanho da calopsita para que ela não consiga passar, não se machuque e, muito menos, fique presa.

O ideal é utilizar gaiolas e viveiros revestidos com pintura epóxi, para que as aves não fiquem em contato direto com o metal, já que são muito sensíveis. O recinto deve conter uma grade em seu fundo e uma bandeja abaixo, para separar a ave da sujeira que ela produz.

 

Tamanho do recinto

Entre as dúvidas mais comuns sobre como tratar de uma calopsita está o tamanho do recinto. Este deve ter, no mínimo, duas vezes  o tamanho da ave de asas abertas, para que ela fique confortável. Quando tratar-se de um recinto construído especialmente para ela, seja em ambiente interno ou externo, é importante que a calopsita tenha espaço para circular com liberdade e que o tutor consiga entrar no ambiente para poder limpá-lo, fazer a manutenção e interagir com as aves. Geralmente esses recintos maiores são mais confortáveis para elas.

 

Nunca solta

Não é recomendado criar uma calopsita totalmente solta, por mais que o tutor tenha todo o cuidado. Por se tratar de um animal pequeno, o risco de que seja pisoteada é muito grande. Ela ainda pode ser atacada por outros animais domésticos, cair no vaso sanitário e afogar-se, em uma panela e queimar-se, se chocar contra um ventilador, ou ainda prender seus pezinhos em pedacinhos de linha ou fios de cabelo, o que pode levar à amputação de seus membros. 

É importante  que se tenha uma gaiola ou viveiro e que a ave seja solta apenas em alguns períodos do dia, sempre sob a supervisão do tutor. É por este motivo que, se houver espaço, o ideal é construir um aviário, para que ela tenha liberdade, sem riscos de acidentes.

 

Artigos Relacionados

 

Alimentação

Na natureza, as calopsitas são aves granívoras, ou seja, se alimentam de grãos e sementes. Na criação doméstica, devem ser alimentadas com mistura de semente, ração, extrusada e vegetais. Muitos tutores pensam que por serem granívoras, elas devem se alimentar apenas de sementes, principalmente de girassol, o que é um erro. A alimentação da calopsita deve ser balanceada para que ela seja saudável e tenha uma vida mais longa. 

A alimentação deve ter ração extrusada como base e conter uma pequena quantidade de sementes. O tutor também deve oferecer sempre alimentação natural, como milho, couve, brócolis, cenoura, quiabo, pimenta. Também é importante lembrar que alguns alimentos são proibidos, como  tomate, cebola, alface, que podem ser prejudiciais para a ave. Atualmente é possível encontrar muita informação pela internet e por meio de grupos nos quais tutores compartilham suas experiências e se ajudam mutuamente.

 

Limpeza de gaiolas e viveiros

Outra informação importante sobre como tratar de uma calopsita é sobre a limpeza do recinto, que deve ser diária e bem rigorosa. Todos os dias é preciso lavar bandeja, trocar o papel, lavar os potes de comida e água, retirar o excesso de sujeira dos poleiros e da grade do fundo da gaiola. E ao menos uma vez por semana, é importante que se faça uma limpeza mais profunda, lavando as grades – do fundo e laterais – retirar todos os objetos, brinquedos, comedouros, poleiros e colocá-los de molho para acabar com todo tipo de sujeira acumulada.

Para realizar a limpeza, deve-se usar detergente neutro e água, uma bucha específica para os utensílios de alimentação e outra bucha para o restante. Atualmente, o mercado disponibiliza diversos desinfetantes para uso animal,  à base de amônia quaternária, que são altamente eficazes no combate de microrganismos, fungos, bactérias e vírus e não agridem a saúde do pet e têm bom rendimento.

 

As calopsitas são aves granívoras - Como tratar de uma calopsita

As calopsitas são aves granívoras, ou seja, se alimentam de grãos e sementes, mas devem ter uma alimentação balanceada.

 

Saúde

Para manter-se saudável, a calopsita necessita de um ambiente adequado, uma boa alimentação e uma boa higiene. No entanto, como são muito sensíveis e tendem a mascarar as doenças, pois muitas vezes, quando o sintoma aparece, a doença já está muito avançada. Por isso, é muito importante levá-la ao veterinário, seguir a rotina de, pelo menos, uma consulta ao ano para um checkup.

O ideal é que o veterinário seja especializado em animais não convencionais, silvestres ou exóticos e nunca usar medicamentos ou suplementos por conta própria, pois isso pode prejudicar ainda mais a saúde da ave.

 

Horários de sono

As calopsitas devem ter entre 10 e 12 horas de sono diárias e esses horários devem ser respeitados, pois esse período de sono é muito importante para a manutenção da saúde da ave.

É importante que a gaiola ou viveiro seja colocada num ambiente tranquilo e, se possível, coberta com um pano, recolhendo-a por volta das 18 ou 19 horas e retornando entre seis e sete horas da manhã, horário em que as aves costumam acordar.

 

Maturidade sexual

Para saber como tratar de uma calopsita, é imprescindível saber que a maturidade sexual dessas aves ocorre a partir dos 12 meses e só então é recomendado colocá-las para reproduzirem. Antes disso, seus corpos não estão preparados para o desgaste que o período propicia, já que perdem peso, cálcio e ficam com o sistema imunológico mais vulnerável.

 

Reprodução

Ao atingir o período de reprodução, é importante que o tutor observe se as aves são realmente um macho e uma fêmea – Para isso, leia nosso artigo Como descobrir o sexo das aves e saiba que a escolha do par depende somente da ave e não há nada que o tutor possa fazer para interferir nisso.

Quando as aves se aceitam como casal, é importante estarem preparadas para o período desgastante, com uma alimentação reforçada, com ovo cozido, farinhada, verduras de folha verde escura – que contêm muito cálcio e vitamina E. O tutor deve separar o casal em uma gaiola, disponibilizar um ninho para ela e observar quando começarem a acasalar. Após sete dias do acasalamento, a fêmea inicia a postura dos ovos, que costuma ser, em média, de quatro a sete ovos. A postura é feita dia sim, dia não e o período de incubação desses ovos é de 18 a 20 dias.

As calopsitas são aves que se reproduzem o ano inteiro, no entanto é recomendado que o tutor coloque-as para reproduzirem entre a Primavera e o Verão, períodos que elas escolhem na natureza.

Ainda tem dúvidas sobre como tratar de uma calopsita ou quer saber mais sobre o assunto? Deixe seu comentário. Será um prazer ajudar!

 

Colaboração Daniele Melki

Daniele é de Belo Horizonte (MG), tutora de aves há seis anos. Apaixonada, em especial, por psitacídeos, atualmente tem 20 aves: uma arara canindé, dois ring necks, dois agapornis, 12 calopsitas e três periquitos. No Instagram, gerencia o perfil @naruto_e_sua_turma, que é focado em compartilhar enriquecimento ambiental e alimentação saudável para aves, e em mostrar todo amor e cuidado que tem com seus filhos de penas.

Cadastre-se em nossa Newsletter