Férias chegando e a maioria das pessoas aproveita o período para viajar. Nessas horas, os aquaristas, principalmente os iniciantes, passam pelo dilema de como alimentar peixes nas férias. Se você  se encontra nessa situação, confira algumas dicas que vão ajudá-lo a resolver suas dúvidas.

Existem quatro opções para você escolher como alimentar peixes nas férias: é possível levar o peixinho na viagem; oferecer alimento próprio para as férias; pedir ajuda a um vizinho, amigo ou familiar ou utilizar um alimentador automático.

 

Levar o peixe na viagem

Essa opção só é possível quando trata-se de um aquário pequeno, como de um Betta, por exemplo, que não dá tanto trabalho. Basta colocar o peixe numa embalagem com água, bem amarrada, como quando você adquire na loja. Chegando ao destino, é importante tratar a água com anticloro para eliminar o cloro na água do aquário e colocar o peixinho para se adaptar novamente.

 

Alimento próprio para peixes nas férias

Há alimentos que são próprios para essas ocasiões. São bloquinhos parafinados, de tonalidade branca, encontrados na maioria das lojas do ramo. No entanto, não são muito nutritivos, por isso, talvez essa não seja a melhor opção, a não ser que você não tenha outra alternativa.

Existem ainda alimentos compactados que duram por um determinado tempo, dependendo da quantidade de peixes que habitam o aquário. Cada fabricante tem uma indicação, no entanto, basicamente, é colocar a quantidade de alimento referente ao número de peixes e à quantidade de dias em que você estará fora.

Artigos Relacionados

 

Pedir ajuda a um vizinho, amigo ou familiar

Também é possível pedir ajuda a um parente para alimentar o peixe durante as férias, entretanto é preciso tomar cuidado quando a pessoa não está habituada e orientá-la sobre a tarefa. O ideal é chamá-la pelo menos uma semana antes, para que acompanhe a rotina do aquário e a forma como você oferece a comida.

Uma dica muito importante é deixar a porção já pronta, com a quantia ideal a ser dada em cada uma das refeições. Neste caso, se a viagem durar cinco dias e os peixes tenham de ser alimentados duas vezes ao dia, basta deixar 10 porções prontas, embaladas separadamente, para que a pessoa apenas sirva. Assim não há risco de errar na quantidade.

Evite também de pedir para que desligue o sistema de filtragem  – mesmo sabendo que esta é a forma ideal de alimentar os peixes. Pois a pessoa pode se esquecer de ligar novamente e uma tragédia pode acontecer.

 

Utilizar um alimentador automático

Esta é a maneira mais segura e eficaz de alimentar o peixe nas férias. O alimentador automático funciona como um relógio com reservatório no qual coloca-se a ração e programa-se quantas vezes ao dia, a hora em que o peixe deve ser alimentado e a quantidade de ração. Desta forma,  é possível utilizar a ração de costume, e os peixes vão poder comer no horário em que também estão habituados, sem a intervenção de pessoas que, muitas vezes, não estão acostumadas com a tarefa.

Pelo fato do alimentador automático funcionar a pilhas, é importante se certificar de que estas são de boa qualidade para que o equipamento não falhe enquanto você estiver fora. O ideal é instalá-lo uma semana antes da viagem e ir acompanhando seu funcionamento, para ter certeza de que tudo ocorrerá perfeitamente durante o período das férias.

 

Agora, sabendo das alternativas possíveis, você pode optar pela mais viável e que melhor atende suas necessidades.  Nós queremos saber: você já viajou e teve dúvidas sobre como alimentar peixes nas férias? Compartilhe com a gente sua experiência, deixando um comentário!